segunda-feira, 8 de maio de 2017

Ensaio 10


Droga, apaguei mais de 10x essa maldita linha pra poder começar o texto, esta tudo embaralhado, tudo mesmo, a unica certeza é que eu te amo.
Te amo com a mesma chama que te amei na primeira vez que te vi, quando nossos corpos se entrelaçaram em uma cama e nos beijamos.
Queria dizer o tudo que é nada ao mesmo tempo, dizer que sinto medo quando sua mão se distancia da minha, que é escuro viver sem você, o mundo fica cinza e chove dentro dos meus olhos, me ofuscando.
Já ficou sem ar? sem chance de dizer que sente dor? sem tempo para poder entender que droga é essa que eu sinto todas as malditas vezes que você passa pela porta? Já contou quantas vezes você se viu sufocado por que as coisas em sua volta te jogam pra baixo e o único remédio é ficar com a pessoa ao lado?

Talvez você ache que é impossível sentir isso tudo
mas não
não é
é mais simples que parece
ficar assim
sem você
sem eu

segunda-feira, 14 de novembro de 2016


"Eu tive tudo para ser feliz, tive um sorriso cor de
meio dia, tive a certeza que eu não morreria de amor. Mas veio a chuva desbotando tudo, pelo meu rosto, pelo meu caminho e o teto de louça da minha cidade natal."

Evinha - Teto de Louça

domingo, 2 de outubro de 2016

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Estado mental #3

Acredito que expor o que senti por esses tempos me fez melhor, não completamente mas me fez ter algumas noites tranquilas, porem quando isso passou, o sono não veio, a solidão chegou fria em meus pensamentos, a visão se perturbou e o único ponto iluminado do radio relógio que pude ver já mostrava um novo dia, não demorou muito para um raio de luz atravessar o buraco da telha do meu quarto, não vi a noite.
Fiz um café com um gosto amargo na boca, meus braços e dedos doem de tanto fazer esforço mental para não socar incansavelmente a parede, é incrível como tudo acontece rápido e não se explica, você se imagina fazendo planos e planos, edifica todos os possíveis e impossíveis causos, mas na hora eles desmoronam em sua cabeça que ninguém vê, ninguém se preocupa, ninguém liga.
As amizades se tornaram uma exceção, nada tem o mesmo gosto, é como se redescobrir, se jogar em um abismo, se machucar e subir até a superfície novamente como vitorioso.

 Um dia de cada vez, uma hora de cada vez, um eu de cada vez.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Estado mental #2

Os acontecimentos grandes se tornaram raros, você se vê enjaulado, se sente estranho e acha que todos os valores que aprendeu não fazem mais sentido, a ideia central é permanecer ativo em mente mas os únicos pensamentos que você produz são feios e gigantes, escuros e prontos para tomar vida a qualquer deslize seu.

Você percebe que seu corpo esta ficando fraco, um monstro gigante esta dominando a sua casa, ele não quer destruir-la, nem tomar conta, ele só quer morar nela, ocupando os mínimos detalhes com a sua massa, não deixando você se mover para sair dela, nem entrando em um acordo.

Quando você sai, as coisas que estão turvas, sempre em um tom acinzentado, chove dentro dos seus olhos e ninguém alem de você sabe disso, outro dia, outra noite, outro gole de café, outra inatividade, outro silencio, é como se deitasse e dormisse fosse morrer por um dia, as olheiras estão aparentes, você se sente desgastado e não sabe.

  É como correr contra você mesmo, quando se anda em círculos nunca se é bastante rápido.